terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Em 10 segundos, tudo estará igual

A virada do calendário gregoriano é algo que me deixa bem pensativo a respeito do efeito psicológico que mudanças bruscas podem provocar na cabeça das pessoas. Nada pode ser mais brusco do que uma mudança desse tipo: "agora estamos em um ano, mas agora estamos em outro ano. Vejam, tudo mudou num instante!"

Já notei outra variante nada passível de ser calculada, mas bastante fácil de ser visualizada: quanto mais fraca da cabeça a pessoa é, mais feliz ela vai ficar na noite da virada. Geralmente, são as pessoas mais reativas com as mudanças bruscas das suas vidas aquelas mais atentas e deslumbradas às mudanças artificiais, como a do ano novo.

Existem outras mudanças artificiais. Comprar um carro novo, um vestido novo ou mudar de academia frequentemente. Porque, claro, o problema sempre ficará depositado naquilo que é velho.

Esse último detalhe é especialmente curioso. E está ligado a um conjunto muito grande de outros problemas comportamentais. Por exemplo, quanto maior for a tendência de um indivíduo para o desequilíbrio emocional, maior será sua busca por "espiritualidade" e "equilíbrio interior". Esses são temas sempre em pauta na boca de pessoas sem a menor capacidade de controlar seus sentimentos. Não é atoa que a venda de livros de auto-me-ajuda disparam nessa época do ano. Também é pelo mesmo motivo que as pessoas se suicidam com mais facilidade, ao apagar das luzes de um ano para o outro.


É triste pensar que um período supostamente muito festivo e alegre seja promotor de tantas coisas ruins. Mas não se trata de admitir isso. Basta apenas observar as variantes e torcer para que as pessoas melhorem; mesmo sabendo de, depois de terminada idade, a recuperação é cada vez mais difícil.

Fato é que, na maioria das vezes, demoramos 12 meses para compreender que, em 10 segundos, tudo estará rigorosamente igual. Afinal, não há nada mais auto-me-ajuda do que esperar coisas novas com um comportamento tão velho, mapeável e regular.

2 comentários:

Isabela Carvalho Santos disse...

"Porque, claro, o problema sempre ficará depositado naquilo que é velho." Boa dica e introdução para uma conversa sobre a cultura brasileira onde o velho é associado ao ruim e todos precisam de coisas novas sempre. Podia desenvolver isso. Ahhh, mas o ppt da virada tá lindão ;)

Everton Maciel disse...

obrigado isabela. O gif eu roubei de outro site.