quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Diário de Londres - Pubs e a botecagem

Minha vida é tediosa, como já ficou claro. O tempo em que não estou na biblioteca da universidade, vou a seminários e aulas livres de outros cursos e até de universidades vizinhas a qual estou vinculado aqui em Londres. O tempo que passo mais livre é o noturno, afinal o mundo acadêmico simplesmente não existe à noite. Acreditem: existe apenas uma universidade noturna em toda a megalópole de Londes, mas apenas para os cursos de graduação. Mestrados e doutorados, só de dia. E todas as outras universidades são full time, uma realidade completamente diferente do Brasil.

Findada a primavera, aqui escurece cedo demais. Estou escrevendo esse texto as 17h, e já é noite. Vai piorar com a chegada do inverno. Então, o que fazer com uma noite tão longa? Encher a cara, é a resposta mais óbvia. Pois, é o que eu faço.

Começo informando que exitem vários tipos de pubs. Para ser pub tem essa única característica comum: vende-se cerveja, uísque, vinho e não se cobra ingresso para entrar. Na medida em que ingressos são cobrados, é party. Então, não confunda alhos com bugalhos. Estou me referindo apenas a pubs. Não existe essa de "couvert" artístico, só porque tem um cara tocando um violão lá dentro. Apesar disso parecer uma distinção muito ampla, é uma limitação necessária. Existe todo tipo de festa em Londres, inclusive raves dentro de barcos ao longo do Thames. Não estou falando dessas coisas.

Separado isso: já fui em pubs onde o mesmo Foster's pint que eu pago 3,30 pounds custava 4,5pounds. Como isso? Ambiente bonitinho, turistas com grana no bolso ou um banheiro limpo. Antes que eu esqueça, um pint é uma unidade de medida de 568mls. Isso eu só fui descobrir depois.

Feita a descoberta sobre os valores e os diferentes ambientes, eu subdivido os pubs dois tipos: caros e baratos, ou seja, os pubs de turistas e os bons. Nos pubs bons, não existe comida para venda. É normal ter ali uns pacotes de chips industrializados, mas nada de cozinha gourmet Jame Oliver. Nada mesmo. É comum a pessoa ficar ali, bebendo, e bater aquela fome. Daí você vai na hamburgueria da esquina e volta com um lanche debaixo do braço. Ninguém na casa vai te incomodar por consumir ali produtos que eles não vendem. Fiz isso muitas vezes. Algumas pessoas levam até marmita de casa. Uns sanduichinhos e tal. Os velhos são predominantes nos pubs. E velho adora música americana e cerveja, coisa que tem aos sábados, aqui no pub embaixo de casa, o The Carpenters Arms, em King's Cross Road. Devo ter visto três pubs com o mesmo nome. Criatividade não é o forte.

Nos pubs, os banheiros são sujos, e usados para o número um. Só! O pessoal vai perdendo a pontaria na medida que a cerveja vai subindo a cabeça.

Mas o que eu mais gostei, amei, fiquei apaixonado (!!): a ausência das malditas comandas! A comanda é um artifício muito usado em "pubs", no Brasil. Você tá lá se emborrachando e o cara fica fazendo risquinhos na sua comanda. Você não vai conseguir contar aqueles risquinhos, depois que passar de sete. É fácil de perder a conta. Aqui não tem dessas frescuras. Eles gostam é de dinheiro. Dinheiro de um lado do balcão, cerveja dentro do copo do outro lado. Fácil, rápido e seguro. Nada impede você de usar o cartão de crédito, pedir para passar várias cervejas e ficar em crédito na copa. Já vi gente fazendo isso. No refound! Se fizer, consuma.

A simplicidade do negócio impede uma cafajestagem muito comum no Brasil: os 10%. Não que não exista 10% aqui. A maioria dos restaurantes cobra e você pode dizer que não quer pagar, como no Brasil. Em pub a conversa é outra. Há lugares com a caixinha para a gorjeta que eles dividem no final do dia. Tem também os cofrinhos beneficentes para fazer uma doação para o asilo da esquina. A gorjeta, popular tip dos USA, cobrada até em supermercado, pode ser até ofensiva aqui na Ilha, dependendo do lugar. Uma vez, disse para senhora do pub ficar com a tip e ela insistiu em me devolver alguns pences. O resto foi direto para a caixinha, dividida entre todos os funcionários.

Senhores e senhoras, tudo inventado pelo homem nesse mundo é estética ou moralidade. Nada mais. No campo da estética os pubs britânicos são uma completa sandice, copiada a revelia, no Brasil. Como as licenças para vender bebida são caras, os pontos bons e baratos têm donos antigos e o proprietário é o principal responsável pelo ambiente. Desistam de tentar copiar esse modelo em barzinhos do Brasil. Pint não é chopp. Vocês não têm fornecimento de Guinness na esquina. Vocês não têm um porão para armazenar os barris. Vocês não têm o festival de copos fornecidos pelas marcas de cerveja competindo entre si para chamar atenção dos clientes. Vocês não têm as torneiras de Coca-cola. Vocês não têm - e não querem ter - aquele tiozão chato que senta lá as 15h, está bêbado as 17h e precisa ser expulso as 17h15. O único "pub" que o Brasil pode ter é o boteco, nem me refiro aqueles lugares do Rio de Janeiro, onde a Itaipava custa 14 reais. No Braisl, só boteco, sem turistas.

Outra coisa muito importante nos pubs daqui: fique longe dos caras com camisetas de hugby e futebol. Smile and wave para eles. Especialmente, se você for estrangeiro. Brasileiro tem a vantagem de não ser francês e italiano, então, é mais tranquilo. Hooligans não são brincadeira. Eles podem passar dias bebendo. E pode ter certeza: a coisa mais tranquila em circulação no sangue deles é álcool.

Os pubs podem ser bem festivos nos finais de semana. Música ao vivo e tem até uns mais acalorados com a juventude, rebolando suas ancas. Não se esqueçam, crianças: em Roma faça como os romamos; em Moscou faça como os Russos; em Londres faça como os marroquinos, indianos, neo-zelandeses, turcos, irlandeses...

3 comentários:

Adriano Wagner disse...

Como sempre, seus comentário é detalhadamente objetivo. Show! Muito bom...
Abs...

Anônimo disse...

Texto muito bom, Parabens, também odeio a comanda do Brasil. Uma correção porem quando voce disse: "Nos pubs bons, não existe comida para venda. É normal ter ali uns pacotes de chips industrializados, mas nada de cozinha gourmet Jame Oliver. Nada mesmo."
Na real pub e aonde tem uma variedade grande de comida, bar e que não tem.

"Pubs offers drinks and a wide range of food to their clientele that is mostly locals or regulars who come to relax and unwind after work. Most pubs offer a variety of beers, wines, spirits and soft drinks. Since pubs offer a wide range of food, they can also be called a restaurant, where families and friends can gather, eat, drink and be merry. Children are allowed as long as they are accompanied with adults for dining purposes. Pubs usually have a casual atmosphere with soothing and quiet music."

The Flowerscents disse...

Muito bom o texto parabéns, porem uma correção, quando voce diz que Pub e aonde não tem comida, na verdade pelo contrario, Pub e aonde tem comida, Bar e que não tem comida. Também odeio a comanda do Brasil hehe...

Pubs offers drinks and a wide range of food to their clientele that is mostly locals or regulars who come to relax and unwind after work. Most pubs offer a variety of beers, wines, spirits and soft drinks. Since pubs offer a wide range of food, they can also be called a restaurant, where families and friends can gather, eat, drink and be merry. Children are allowed as long as they are accompanied with adults for dining purposes. Pubs usually have a casual atmosphere with soothing and quiet music.