sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Cantadas: a vida é complicada. Simples assim.

O pedreiro não elogia a mulher que merece ser elogiada. Ele não assina contrato para fazer parte de banca em concursos de beleza. Pedreiro elogia a mulher que precisa de atenção e carinho. É uma profissão que desempenha um papel social. A ideia de elevar a autoestima feminina, geralmente enfiada dentro de um shortinho passando próximo a obra, pulveriza o imaginário popular com a sedução brega contida no "Oh lá em casa".

Esses são os fatos.

Fato incontestável também é que o mundo é dividido entre pedreiros que querem elogiar e os que querem desrespeitar. E isso é independente do apelo de qualquer mulher frustrada.

As redes sociais têm sido responsáveis pela maior quantidade de asneiras e idiotices dos últimos anos. Ok. Talvez a TV ainda detenha o título principal no campeonato de asneiras. Mas não é campeã invicta. Bem recentemente, circularam algumas pesquisas inúteis mostrando conclusões óbvias, e garantindo que mulheres, no geral, não gostam de levar cantadas nas ruas.

Mulher não gosta de desrespeito. Igualzinho aos homens, cavalos e cachorros. Parece uma conclusão insustentável a ideia de que mulheres não gostam de elogios com o objetivo de leva-las ao sexo. Afinal, tudo que os homens fazem tem o objetivo de levar as mulheres ao sexo.

Uma cantada é isso: um jeito de chegar ao sexo através da lábia. "Tesão!", "meu deus que rabo!" e "pega no meu pau!" não são propriamente cantadas. Quem sabe sejam cantadas numa casa de swing ou num baile funk. Na rua, definitivamente, não são cantadas.

Segredinho masculino para a mulherada: muitos homens precisam ofender porque são donos de uma autoestima tão insignificante que só podem ser comparados a mulheres muito mal comidas. Ele precisam verbalizar que ainda possuem alguma testosterona, mesmo que isso seja a forma mais ineficiente e repulsiva de levar uma mulher para a cama. No final, acredite, são uns ticos-murchos. Não conseguem passar da sinuca de corda. Não dá certo nunca. Mas essas antas precisam abrir suas bocas.

Se o Brad Pitt andar por aí com cantadas vulgares, essa bobagem de que mulheres não gostam de cantadas na rua também vai para o espaço. Do que mulher não gosta, então? Mulher não gosta do que mulher não gosta. Não há como saber. É um dos mistérios do universo, junto com o segredo de Fátima e com a santíssima trindade.

Cantadas são ofensivas quando pretendem ofender, têm gosto duvidoso ou não são pronunciadas por um galã do cinema.  A vida é complicada. Simples assim.

O caso dos pedreiros que desempenham sua função social não pode ser simplesmente ignorado. Problemas com a autoestima feminina? Coloca o short e vá desfilar na frente da obra. Problemas com a autoestima masculina? Ofenda uma mulher.

Espero não estar vivo quando um homem precisará protocolar em cartório sua intenção de dar em cima de uma mulher. Já vivo num mundo suficientemente patético, mesmo sem isso.

3 comentários:

Kelly Maia disse...

Brad Pits tico murcho não atraem as mulheres anyway. Mulheres tipo vinho dos bons, de cabelos curtos e com uma boa auto-estima não se sentem felizes quando um cara bonitão largam uma "cantada" bagaceira. Acredite ;)
Parabéns pela tua escrita.

Everton Maciel disse...

não acho que o brad pit possa ser um idiota e não ser xingado, maia

ganhar seguidores no instagram disse...

Muito bom adorei o post !