quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Mude, rasgue o baralho velho!

Everton Maciel

Há muito que a publicidade das grandes marcas de refrigerantes balizam o mundo do marketing. Depois dessa, espero que continue assim. Só eu e a agência da própria Pepsi Cola vimos o que aconteceu com a nova campanha da marca, “Mude, beba Pepsi!”.

A chamada de 40 segundos colocou abaixo um dos conceitos mais fracassados da famigerada e rasgada bandeira da “Tradição, Família, Propriedade”: a ideia de família nuclear não existe mais. Só quem não viu isso são os retardados que ainda pensam que a ditadura militar foi a melhor coisa que aconteceu na história do Brasil. Não foi.

O comercial da Pepsi conseguiu aquilo que os politicamente incorretos – como eu – tentam há 25 anos: mudar as cartas do baralho, para, atrasados, começarmos um jogo novo. Nesse novo jogo não há espaço para a família nuclear – pai, mãe e filhos. Depois dessa, resta aguardar os resultados. Não há mais moral estabelecida no fim do túnel. Mas ainda existem pessoas, afoitas, esperando para iniciar suas vidas.


Um comentário:

Leandro disse...

Por outro lado a chamada de "mude, beba pespi", evoca para a marca certos valores que deveriam ser atribuídos a ações e atitudes. Não a produtos.
Ver a referida chamada pode lembrar o cidadão também sobre "Surf Skate com Atitude", das lojas Quebra Mar, indicando que suas roupas viriam com "Atitude", ou então a propaganda, do carro Ford Ecosport, quando diz: " Fuja da Ideia(referencia clara á seu concorrente da Fiat), tome uma atitude!(...e compre nosso carro)
Por este ponto de vista vale lembrar Engenheiros do Havay: "a juventude, é uma banda numa propaganda de refrigerante..." ou ainda Mamonas Assassinas: "... onde a felicidade é um crediário, nas casas Bahia..."