terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Gastando com a fé

Jonas Silva

Dizem que o brasileiro é um povo de muita fé. Eu, particularmente, não tenho dúvida disso. Creio que nunca antes, na história desse país, (com permissão para usar a conhecida frase do “companheiro” presidente Lula) o brasileiro gastou tanto com a fé.

Segundo a Caixa Econômica Federal (CEF) o brasileiro gastou R$ 5,2 bilhões com loterias, número recorde em 2007. Os números representam um crescimento nominal de 23% em relação ao ano de 2006. As maiorias dos que escolheram apostar na sorte para ficar rico, optaram pela Mega-Sena que no ranking da Caixa ficou no topo da lista, seguida da Lotofácil e da Quina. Os números fechados de cada tipo de aposta ainda não foram divulgados.

Cerca de 50% da arrecadação bruta são destinados para projetos na área cultural e esportiva. Foram cerca de R$ 2,6 bilhões destinados para o desenvolvimento do esporte e de atletas. Outra parte foi para a educação, com cerca de 400 mil alunos beneficiados com o Programa de Financiamento Estudantil (Fies). O que significa que o recurso que não é distribuído em prêmios é investido no social.

Saber que o seu dinheiro está colaborando para o desenvolvimento do país pode servir de consolo para quem fez uma fezinha, mas não levou a bola que esperava (a maioria esmagadora dos apostadores).

3 comentários:

não viaja disse...

o brasileiro NÃO gastou R$5,2 bi em loterias coisa nenhuma! na realidade, esse é o resultado da arrecadação total de todas as loterias da CEF! Os números detalhados serão divulgados hoje à tarde...
aliás, só o governo pode explorar jogos de azar no brasil?

krauz disse...

A referência e a imterpretação devem ter sido feitas com base apenas nos números da CEF. Ai, a interpretação está parcialmente correta, pois o brasileiro gastou sim R$5,2 bi. O que é verdade também é que não foi só isso. É claro que existem outros jogos de azar (uns legais outros não. Isso sgnifica que o gasto foi muio maior do que os R$5,2 bi da arrecadação da Caixa.
Esse é um povinho que não quer pagar CPMF, mas que gasta com jogos de azar. Fazer o que?!É Brasil.

não viaja disse...

haha
Bom se o governo bancasse uma de honesto intelectualmente e usasse permitisse que o jogo fosse explorado nos confins do Nordeste, onde não nasce uma planta desde 1960. O Texas era foi uma região pobre. Hoje o jogo é permitido naquelas parte dos EUA. Brasileiro nasceu pra se ferrar. Que se dane a CPMF e os caça-níqueis...