sexta-feira, 17 de abril de 2015

Democracia não é coisa pra gente de estômago fraco

Democracia não é coisa para gente de estômago fraco. Estão desconvidados para participar da nossa brincadeira todos aqueles que acham muito estranho o gênero humano. Acho que foi Terêncio que escreveu "nada que é humano me é estranho". Baita liberal-conservador o Terêncio. E vocês ficam aí, chorosos, reclamando quando escutam um idiota xingar homossexuais e outro dizer "eu odeio a classe média". Tudo um bando de abestado, vocês. Devem participar da alucinação pedagógica de "libertação". Sim, aqueles tiozinhos que defenderam que a humanidade mais educada se tornaria mais progressista. Imagina: todo mundo saindo por aí defendendo ideias de valores ao próximo e solidariedade. Vocês são burros ou o quê? Não sabem que nas melhores escolas se gestam os mais reacionários? E nas escolas equivalentemente excelentes se pega o pensamento burguês de alguém e se consegue transformar o indivíduo num energúmeno com mentalidade limitada ao proletariado? Determinismo puro, é isso? Sabem de nada, inocentes! Onde já se viu depositar o progresso moral da humanidade em qualquer coisa externa ao indivíduo? Agora as instituições saem por aí chutando pedra e pensando com cabeça própria? Então, vocês elegem o Congresso mais conservador desde que voltamos a ter voto direto, e ficam achando estranho os caras discutindo a menoridade penal? Por acaso, estamos proibidos de rever isso amanhã, ou depois, com um Congresso mais bunitinho e purpurinado? Beberam é? Estão desconvidados da brincadeira apelidada de democracia que vai acontecer lá em casa. Democracia não é coisa para gente de estômago fraco. É dieta com carboidratos e proteína de carne e suor humano. Fiquem, vocês, proto-ditadores, xingando quem xinga, reclamando de quem reclama, tentando calar quem fala. Acho que foi Mill que escreveu algo parecido: a humanidade toda não tem direito de silenciar um idiota mais do que ele teria direito de fazer a mesma coisa com a humanidade, se conseguisse. Não tem talento para o jogo democrático? Pede para sair, Zero Três! Melhor do que ficar todo dia pedindo imparcialidade da imprensa e reclamando coletivismo de seres humanos mortais. Seria até melhor para a saúde mental dos senhores. E das senhoras, também. Se eu usar uma linguagem "inclusiva", logo aparece um patrulheiro me policiando.

Um comentário:

Isabela Carvalho Santos disse...

Acho q foi Thomas Sowell q disse, tem sempre um cara de Harvard no meio de uma notícia estarrecedora. Por favor, nada de eufemismos inclusivos ou imparcialidade.