terça-feira, 23 de julho de 2013

O esculhambador geral e a secretária executiva

Tenho andado meio sem tempo para escrever aqui. Ontem mesmo, passei o dia todo numa edição tão pedante que não valeria a publicação num país sério. Mas enfim...

Vou comentar rapidamente o episódio envolvendo a presidenta da república, Dilma Rousseff e o presidente do Supremo, Joaquim Barbosa. Ambos, umas antas.



Barbosa é um matuto. Dilma, uma secretária executiva de um colégio estadual do Rio Grande do Sul.

A assessoria de Joaquim Barbosa, desesperada para fazer valer seu ganha-pão, emitiu nota dizendo que o presidente da Suprema Corte ignorou a presidente e cumprimentou apenas o Papa Chico porque já havia estado com Dilma, antes do encontro diante das câmeras, naquele mesmo dia. Não interessa. Foi matutice e pronto.

Eu teria dado outros motivos para Dilma ser ignorada. Quem sabe, defenderia a equivalência [irreal] dos três poderes e reclamaria que Barbosa e o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, deveriam estar ao lado de Dilma e não postados diante dela.

Falta comunicação. E a culpa é de Dilma, uma secretária executiva sem o menor talento para chefe de estado. Falta razoabilidade, culpa de Barbosa, um mineiro matuto que dá, só para os que querem ver, a noção da esculhambação geral na qual nos encontramos. Nesse país não existe poder melhor ou pior, nem menos ou mais corrupto. São todos calhordas e representam com isonomia o povo que os colocou nos seus lugares.

Aluguem para os ingleses.

Sem mais, meritíssimo.

4 comentários:

Blog Edison Villela disse...

Cara... por favor! Não alugue para os ingleses, faça doação para os finlandeses!!! KKKKK

Lucas D. Silva disse...

Tchê...para de criar polêmica nas interwebs e vai terminar de revisar o meu "texto pedante que não deve ser publicado num país sério"...

Lucas

Anônimo disse...

Tchê, pára de criar polêmica na interwebs e vai terminar de revisar o meu texto "pedante que não deve ser publicado num país sério"...

Lucas

Isabela Carvalho Santos disse...

Eu sei q não deveria, mas ultimamente eu só consigo rir... pra não chorar.