terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Vencedor do Musicanto não autorizou a reprodução de sua canção na internet

Recebi, há pouco, um e-mail do cantor e compositor Luis Dillah, vencedor meritório do 24º Musicanto Sul-Americano de Nativismo. Dillah garante que não sabia que sua música havia sido upada no site da Globo Vídeos. "Estou entrando com um processo judicial para a retirada deste vídeo devido a sua ilegalidade", explica Dillah.

Pois é, gente. Olha a situação desse talentoso homem. O regulamento que estipula o ineditismo das músicas inscritas no Musicanto não deixa claro o que entende por "composição inédita". Logicamente, as apresentações públicas das canções sempre aconteceram e não prejudicam em nada o bom andamento do festival. Seria muito estranho que um artista fizesse uma canção e a trancafiasse em um cofre, aguardando a hora de se inscrever no evento. Claro que não! O trabalho desses homens e mulheres é a música. Eles vivem disso e têm todo direito de apresentar suas obras em público. O que não pode, para que o Musicanto faça sentido, é que essas obras sejam reproduzidas em larga escala e comercialmente. O festival precisa manter a originalidade e isso requer algumas exigências. "Quando saiu as classificadas, a organização entrou em contato comigo, me interrogando se eu tinha vídeos da música, em DVD comercial, ou qualquer outra coisa do gênero, e eu respondi, e torno a afirmar, nunca fiz e nem autorizei, e muito menos postei, qualquer vídeo da música '14 de novembro' na internet. A canção nunca esteve em nenhuma final de qualquer festival", esclarece o vencedor.

Isso tudo serve para chamar a nossa atenção para outra coisa. Hoje em dia, qualquer malcomido coloca o que quer na internet e não precisa prestar contas para ninguém. Gravar um disco, literalmente, tornou-se uma obra de assistência social. A putaria é tão grande que tem gente que pensa que os artistas vivem de vento. Porra! A qualidade de algumas obras, como as do Dillah, por exemplo, não permite que o artista fique se apresentando nos programas dominicais de TV. Agora, o cara não pode nem se apresentar em quermesse que qualquer um mete a mão no trabalho dele!?

27 comentários:

Anônimo disse...

Será que a defesa do mesmo é verdadeira... Seguindo o blog da Reação do post anterior, chega-se a este blog... http://www.luisdillah.blogspot.com/. Onde está postada a midia da música vencedora... Já conhecia a mesma pelo youtube, http://www.youtube.com/watch?v=QYBo6NagnFk.. Além da música cifrada onde aparece que está a venda. No site da globo consta como 06 de abril de 2009... Para quem segue atentamente os regulamentos dos festivais é um tiro no pé.

Só pra constar!! Gracias..

Karen Hirs disse...

Você tentou comprar? Eu tentei e não consegui...parece que estão se valendo do artista realmente sem sua permissão. Vale a pena refletir.

Anônimo disse...

Será que o Dillah não sabia que, há um ano e meio, seu vídeo estava postado no site da REDE GLOBO "sem" a sua autorização ??? Ao que consta, o programa do Faustão,onde está ligado, o tal vídeo, teve o CONCURSO "Garagem do Faustão", no qual as pessoas VOTAVAM pela INTERNET para ver seu "artista" preferido no PALCO e, posteriormente, com o material editado da tal apresentação, no site da Globo, é CLARO, com a devida autorização do SELECIONADO !!!!! O regulamento do Musicanto é bem CLARO quanto ao ineditismo. Já que o Dillah é artista há mais de 20 anos,deve ter e poderia ter inscrito OUTRA música , desta vez, INÉDITA, a fim de evitar FRAUDE a um concurso tão respeitado como o MUSICANTO. Certamente, as providências cabíveis serão tomadas pelo festival !!!!

Anônimo disse...

Acho muita ingenuidade o tal Luis Dillah desconhecer que a música (que ele inscreveu para o programa do Faustão e apresentou no palco) estava no site da Globo. Se fosse o caso de não querer a divulgação(diga-se, de passagem , vinculada ao tal concurso via internet), deveria ter reclamado antes e não agoira, após colocar no bolso os R$ 15 mil do prêmio do Musicanto, literalmente "passando a perna" no pessoal do festival e nas dezenas de músicos finalistas.

Anônimo disse...

A Globo não postaria o vídeo sem a permissão do artista. Faz parte do concurso a autorização para veiculação.

Anônimo disse...

Acho que ficaria melhor o Dillah devolver o troféu e o dinheiro senão vai ficar difícil retornar ao Musicanto e, até mesmo, ao RS, depois de uma falcatrua dessas. As notícias voam .....

Anônimo disse...

A Comissão Organizadora do Musicanto irá tomar as medidas necessárias para reclassificar as composições, certamente, para preservar o excelente nome do festival que não merece ser manchado com esta fraude horrível, confirmada em rede nacional !!!

Anônimo disse...

Essa música "14 de novembro" já venceu o concurso Garagem do Faustão. Portando, não era mais inédita, desde abril do ano passado.Não existe dúvida, o Brasil inteiro viu.

Anônimo disse...

Será que foi um clone ou "cover" do Luiz Dillá que gravou o vídeo no palco do Domingão do Faustão ??O "verdadeiro" diz que não fez o vídeo ???

João Gustavo disse...

Pessoal não é um mísero vídeo postado ilegalmente por alguém que vai tirar o mérito do artista, muito menos do festival.
Certamente a organização do Musicanto irá reformular o regulamento ná proxima edição, pois percebeu que ninguém tem controle de vídeos postados na internet.

Anônimo disse...

O caso é o regulamento deste ano. Para inscrever seu trabalho, o Luis Dillah foi obrigado a ler o regulamento, portanto, praticou ato ilícito. No mínomo, deve devolver o prêmio para não ser processado por fraude. A organização do festival j´´a está tomando suas providências, afinal, outros músicos que também vivem de sua arte foram lesados e prejudicados. No Rio Grande do Sul, as coisas são resolvidas de maneira clara e honesta e não viram "pizza". A justiça deve ser feita já !!!!

Anônimo disse...

Ainda não resolveram esta falcatrua ??? Está demorando !!!!

Anônimo disse...

Não é um míusero vídeo postado ilegalmente por alguém. É um vídeo postado pela Rede Globo devido a um concurso de música. É muito sério isso. O regulamento é claro, só não vê quem quer encobrir a falsidade.

Anônimo disse...

O caso vai parar em rede nacional, assim como o vídeo está há quase dois anos.Não dá para abafar um caso assim.

Anônimo disse...

Devolve o troféu e a grana, Luis Dillah. Tá ficando feio, isso!!!

Anônimo disse...

O Musicanto não merecia uma falcatrua dessa! Com certeza a Comissão Organizadora resolver o caso, revendo a premiação!!!!

Anônimo disse...

Existem informações concretas que dão conta que o caso foi denunciado e que o festival tomará as medidas condinzentes com a importância do evento.

João de Almeida Neto disse...

Desculpa, Capeta, mas o regulamento do Músicanto é bem claro ao definir o que entende por INÉDITO:

Art. 7º. As composições inscritas deverão ser inéditas, sob pena de desclassificação sumária.

1º. São inéditas as canções (letra e/ou música) que não tenham sido gravadas em disco, teipes, comerciais, filmes ou similares e/ou veiculadas pela internet.

SÓ NÃO ENTENDE QUEM NÃO QUER.

João de Almeida neto

Everton Maciel disse...

Gente, como eu disse, o Musicanto precisa rever alguma coisa. Da forma como as coisas estão postas, parece que estou defendendo alguém. Ninguém é mais despreocupado com isso do que eu. Admito que reconheci a canção do Dillah como sendo de qualidade. E mantenho essa opinião, coisa que não faz diferenã alguma. Quando citei o Domingão do Faustão falei de um programa que, pessoalmente, não assisto e fiz isso justamente para me referir da baixa qualidade do material apresentado nesse tipo de espaço televisivo. Sequer tenho TV em casa. Se o Dillah, realmente, participou de outros concursos e autorizou a gravação de sua música seja para a Internet, CD ou DVD, concordo inteiramente que o Musicanto deva rever judicialmente a premiação. Uma pena que o festival não tenha se precavido disso. Bastaria colocar alguém pesquisando no sistema da Biblioteca Nacional, sistema nacional de cartórios, internet e por aí vai. Vamos aguardar.

Anônimo disse...

Agora, sim, estamos falando em língua portuguesa, com certeza. O regulamento é claro e ninguém questiona a qualidade da música e sim, a legalidade da mesma ter participado e, ainda por cima ter recebido considerável prêmio, em evento tão importante para os artistas da América Latina. Acertar as coisas, com o devido direito, a quem merece, é a melhor maneira de se fazer JUSTIÇA , servindo de exemplo para todas as gerações que ainda acreditam nas pessoas de bem.

Anônimo disse...

O Musicanto deve corrigir este equívoco, fazendo a reclassificação dos prêmios , em honra ao bom nome e ao ótimo crédito que festival possui perante a classe artística.

JOÃO DE ALMEIDA NETO disse...

Outra coisa que me chama atenção é que nenhum jurado e ninguém da comissão organizadora se manifestou sobre o caso.

O dinheiro pago ao Dillah, e o dinheiro paga a mim pelos prêmios que recebi (3o. lugar e melhor intérprete) é dinheiro público, pago pelos cofres públicos do múnicípio de Santa Rosa. E quando o dinheiro é público a coisa tem que ser tratada com austeridade e transparência. Ou não é isso que vivemos cobrando dos políticos????

Por isso, coisas graves como essa não podem ser explicadas com um simples "não fui eu..." "eu não sabia...".

João de Almeida Neto

Anônimo disse...

Não estou entdendendo: quer dizer que o Luis Dillah não sabia que estava na Globo, no Faustão e que estava sendo filmado e, ainda, cantando a música dele que, depois de um ano e oito meses, ele mesmo repetiria no palco do Musicanto????Não estou entendendo....

Tiaraju disse...

SUCESSO

Anônimo disse...

FALCATRUA !!!!!

Anônimo disse...

FRAUDE !!!!

Anônimo disse...

Ouvi falar que só será possivel tomar uma providência juridica, se alguém formalizar uma denúncia aos organizadores do evento. Mas tem que formalizar. Se não vai acabar em pizza. Burrocracia juridica...