quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

CPMF parte II

Júnior Grings

A reforma tributária é imprescindível. Mas o mínimo que se espera das taxas e tributos é que sejam justas, e compatíveis com cada camada da população. Evidente que injustiças sempre ocorrerão, mas elas não podem ser regras. Considero a CPMF um dos impostos mais justos, e tem a seu favor, ainda, a possibilidade de ser uma eficiente arma de fiscalização contra a sonegação.

A questão é: a derrota do governo não foi movida pela redução da carga tributária, foi uma queda de braços entre oposição e governo. Isso realmente é lamentável, enquanto essa novela aconteceu, se gastou muito tempo, deixando de lado o real debate da situação. Precisamos, urgentemente, revisar todo o processo tributário e combater a sonegação.

Sonegar é também um ato de corrupção.

Um comentário:

Cassol disse...

concordo plenamente.