quinta-feira, 25 de outubro de 2007

No alto da inspiração

Júnior Grings

Enquanto a nicotina embriagava meus pulmões, comecei a imaginar algumas bobagens tão imbecis quanto o meu vício, brigando com o teclado tentava escrever algo útil, para postar no blog, que mesmo sendo fulero, merece um bom tempo da minha atenção. A milonga, que tocava ao fundo, dava o ritmo às tragadas intermináveis no filtro já amassado pela voracidade do meu tabagismo.

Olhando a bagunça da minha mesa, procurava algo qualquer para me colocar no foco do que eu deveria escrever. Veio à minha imaginação, uma pergunta que começou a bater como um sino. O que eu deveria escrever? Há dias, não conseguia me atinar para nada. Tentei até pedir algumas sugestões a alguns amigos, entretanto, nada me chamava atenção. O trabalho realmente estava me consumindo nos últimos dias.

Isso, no fundo me incomodava, mais do que o normal. Notava que a irritação já resvalava às pessoas que me rodeavam. Mas, o teclado continuava pesado. Todas as frases que manchavam a imensidão branca do monitor não tinham fim. E, ao tempo de cada tragueada do cigarro, a ebulição da crise vinha à tona. Estava começando a me convencer de parar com tudo, e buscar alguma besteira para encher minha cabeça.

Todavia, as besteiras e bobagens já estavam impregnadas no meu pensamento e na marrenta fumaça da minha sala. Algo em mim ainda relutava por algumas linhas nexas de um pensamento sóbrio. Não sabia como, e nem donde, buscaria inspiração para vencer meu marasmo intelectual. O teclado parecia querer fugir dos meus dedos.

No alto na minha conivência com tudo que se passava em minha cabeça, como nos contos de fadas, um estalo surge do fundo do escuro túnel das minhas idéias. A luz toma conta dos meus pensamentos. Enfim, parto para ação, ascendo o terceiro cigarro, desligo o computador e desisto de escrever.

3 comentários:

Anônimo disse...

Fiquei me perguntando se vc realmente não tinha assunto pra escrever ou se sua intenção era escrever sobre os momentos de falta de inspiração que por veses nos assolam. Acho que no Alto de Sua Inspiração conseguiu extrair um negócio legal.
Só da próxima vez procura fumar um pouco menos....

Cassol disse...

você está pronto para ser um político.

Rui disse...

Pensar com toda aquela fumaça é totalmente impossivel. Não há cerebro que funcione. Pregar o verde e escrever com todo aquele picomã é pedir para ter na cabeça o que Rui Barbosa tinha nas tripas.Um abraço.