segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Ouro mais caro que diamente

Everton Maciel, de Pelotas

E aí, pagador de impostos?! Acordou bem nessa segunda-feira pós-olímpica? Então, tiro no teu dedão: cada uma das medalhinhas que vieram da Chinha custaram aos cofres públicos R$ 53 milhões (incluindo prata e bronze). Foram 15 medalhinhas: quase R$ 800 milhões!

***

Os gastos escabrosos do Pan do Rio ainda não foram apurados, mas já estamos trabalhando para colocar a "cidade maravilhosa" na lista para concorrer às Olimpíadas de 2016!

Essa é a hora em que entra a vinhetinha: Brasiiiil!

***

Por falar em vinhetinha, vamos ao quadro de medalhas (que o Galvão esquece de mostrar completo): .

Estamos na 23ª posição. Atrás de Etiópia (18º), Bierlorrúsia (16º) e Quênia (15º).

***

Pra fechar com chave de ouro:

Deu na Folha de SP.

O ex-presidente cubano Fidel Castro defendeu publicamente o atleta do seu país Angel Valodia Matos, que acertou um chute no rosto do árbitro sueco Chakir Chelbat na disputa da medalha de bronze da categoria acima de 80 kg do taekwondo dos Jogos Olímpicos de Pequim. "Angel ficou assombrado com uma decisão que considerou totalmente injusta, protestou e acertou um chute contra o árbitro. Ele não pôde se conter", disse Fidel, segundo a imprensa oficial do país (a única que existe em Cuba).

No sábado, Valodia Matos não aceitou uma punição no segundo round do combate com o cazaque Arman Chilmanov, quando vencia a luta por 3 a 2, e iniciou uma troca de ofensas com o árbitro central.

Em seguida, Matos perdeu o controle e agrediu Chelbat com um chute no rosto. Neste momento, os outros árbitros e representantes da organização entraram no tatame para tentar segurar o lutador caribenho.

O cubano, furioso com a desclassificação, ainda desferiu um soco em outro juiz do combate, antes de ser retirado do local, inconformado e debaixo de muitas vaias da torcida presente ao ginásio da Universidade de Ciência e Tecnologia de Pequim.

A Federação Internacional de Taekwondo examinou imediatamente o caso e decidiu banir do esporte Valodia Matos e seu treinador.

"Há esportes em que a arbitragem está muito corrompida. Nossos atletas lutam contra o adversário e o árbitro", disse Fidel, que criticou também os juízes do boxe, esporte que tradicionalmente rende medalhas de ouro para Cuba, mas em que o país "passou em branco" em Pequim.

2 comentários:

Daniel disse...

É muito inteligente pensar que o investimento em esporte no país se resume a medalhas em uma olimpiada

É de "escritores" e "jornalistas" como vocês que o Brasil precisa.


tsc tsc tsc...

Blog do Capeta disse...

O investimento publicado pelo Capeta diz respeito somente ao que o Comite Olímpico Brasileiro recebe dos cofres públicos. Assim como saiu largamente na imprensa de todo Brasil. Logicamente, essas medalhas custaram mais caras em virtude dos patrocínios e outros quetais. Portanto, trata-se de uma injeção direta no esporte olímpico; Infelizmente, esse recurso não está à disposição das escolas públicas para "fomentar" o esporte. Cegos, apaixonados e partidários são tristes. Entendem o que querem.