terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Um comentário sobre o comentário

Juca Thiele

Em reuniões extensas e de grau etílico considerável, os “capetas” sempre se perguntam:

Por que não comentam nossas ações? Ficamos por ai “capetiando” e de vez em quando alguém se manifesta acerca das nossas maledicências.

Enquanto isto, na mesa ao lado, um grupo de pessoas fala sobre o Orkut.

Um dos nossos se manifesta: Temos que criar um Orkut do capeta. Outro logo diz: Através dele convidaremos o povo para futuras festinhas? “Não, cavalo! É para divulgar o nosso blog, festinhas estão em segundo plano.” Exclama nosso companheiro mais centrado. E continuam as fofocas, as queixas contra a universidade, as questões de paladar, levantadas pelo nosso enólogo de plantão e as discussões estéticas (a maior parte sobre o cinema pornô), assim passam horas os “capetas” conversando.

Destas reuniões surgiram pautas, versos, axiomas, brigas, ofensas e mais um monte de coisas que provavelmente um dia estarão no blog.

A grande questão são os comentários. Cada um dos bons meninos escreve esperando que alguma boa alma o leia e, se possível, comente criticando ou elogiando, tanto faz. A alegria de abrir o blog e ver, lá no finzinho do seu querido texto, X comentários, é inexplicável. Serve até um: “Isto que você escreveu é uma porcaria.” Uma opinião como esta pode de alguma forma “alegrar” quem passou horas, dias, ou apenas alguns minutos elaborando uma obra. Nossos “capetas” ficam radiantes quando alguém diz que leu, só dizer que leu já faz o solitário operário das letras sentir-se pago.

Obrigado aos leitores, não leitores, futuros leitores, e os agourentos de sempre. Beijos, abraços e bolinações em geral para todos que acessam http://www.oblogdocapeta.blogspot.com/

P.S: Um dos redatores, logo que me encontrar na rua vai dizer: O blog não é lugar pra confissão de adolescente, muito menos escritor em crise! Mas o importante é comentar!

Um comentário:

everton maciel disse...

uma bobagem deste nível não merece comentário!